Agro

Como uma empresa com 20 anos no mercado de agricultura está implementando a cultura da inovação

Localizada em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, empresa líder no segmento de pulverizadores para o agronegócio envolve todos os colaboradores na construção de ideias que mudam a rotina e melhoram as vendas.

Apresentado por:

Coopavel

Frequentemente você nos vê falando sobre Cultura da Inovação e, nesta publicação, fizemos uma extensa análise sobre como você pode incentivar a prática dela na sua empresa.

Mas melhor que embasar nossas referências em pesquisas e estudos, gostamos mesmo é quando nos deparamos com empresas que fazem disso parte da sua rotina. 

E não estamos falando daquelas startups nascidas em meio ao ecossistema em que inovação é obrigação, mas empresas tradicionais que enxergam todas as potencialidades de inovar.

Foi assim que, em meio aos tratores e máquinas agrícolas do Show Rural 2020, nos surpreendemos com a Arag, empresa de pulverizadores, localizada em Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR).

Há quase 20 anos no Brasil, a filial da empresa italiana considerada a maior no segmento de componentes de pulverização, iniciou há recentes cinco meses um processo de implementar a cultura da inovação entre os 36 funcionários da unidade de Pinhais.

“Como primeiro passo, criamos um painel adesivado para o cantinho da inovação, e junto, produzimos uma camiseta que todos da empresa usam às sextas, quando ocorre a reunião para dar ideias”, explica Cláudia Coelho, coordenadora de vendas.

A criação do ambiente e a camiseta fazem parte do objetivo de desierarquizar o processo de busca por soluções, já que os próprios funcionários enxergavam restrição em suas funções.

Fisicamente nós estamos divididos em dois andares e o pessoal que está na produção, na parte de baixo do prédio, não se enxergava como parte da equipe que poderia sugerir mudanças. Assim, todos utilizam a mesma camiseta na sexta-feira, sem diferenciação na hora de fazer sugestões.

Para os que são tímidos, post-its são deixados nas mesas para que as ideias sejam coladas no painel da inovação. Ninguém se envergonha, muitas ideias mirabolantes e outras proveitosas são trazidas à mesa.

Desde a descentralização pra cá, a Arag já soma dezenas de sugestões – mais precisamente 33 – que serão colocadas em prática.

Paredes coloridas, camisetas e soluções internas para problemas reais

Com tantos players do mercado se preocupando em promover inovação, a Arag ressalta que optou por focar nas inovações pequenas, que influenciam no dia a dia da empresa. 

Isso impactou desde a adoção de canecas e o consequente custo zero com copo plástico, até a implementação de métodos para facilitar o aprimoramento de ideias.

“Uma ação que fizemos foi dividir os colaboradores em equipes multi setoriais, com pessoal da produção, comercial, financeiro. A partir daí, pedimos que eles desenvolvessem uma apresentação relacionada a inovação. Foram tantas ideias que na última semana do mês de janeiro começamos a terceira fase: colocar em prática de uma maneira que os responsáveis pelas sugestões pudessem acompanhar o processo, e não apenas a diretoria ou marketing”.

Uma das ideias que já está em processo de implementação partiu de um funcionário interno da área comercial, que apontou a necessidade de se comunicar com os vendedores externos que estão espalhados pelo Brasil. 

Processo que seria facilitado por um app.

O mesmo foi feito por uma startup contratada, que desenvolveu um app que consegue mapear toda a rota do representante, o que ele vendeu, por quais locais já passou, etc.

“As pessoas que não tem as ideias selecionadas não ficam chateadas, mas passam a auxiliar e refinar para que outras pessoas dêem ideias melhores. Está sendo um trabalho bem colaborativo”.

Precisando de ajuda para inovar nos negócios?

Histórico favorável e liberdade em busca da cultura da inovação

A relação da unidade brasileira com a inovação já tem longa data, antes mesmo da prática com nome bonito se tornar popular em todas as principais empresas disruptivas.

Há sete anos um dos nossos vendedores sugeriu um produto que teve origem a partir da solicitação de agricultores. Assim nasceu o kit da ponta de barra, que possibilita que durante a montagem da barra de pulverização no trator, agricultores possam alcançar até cinco metros para cada lado, ao contrário dos demais bicos, que ficam retos para baixo.

O kit criado no Brasil fez tanto sucesso que a multinacional italiana passou a vender no mundo todo. Assim como outra solução apresentada pelo mesmo vendedor, que uniu no mesmo equipamento a possibilidade de controlar a barra e a água.

“Foi o maior produto de venda de 2019”.

Assim como teve início, despretensiosamente, a meta para o ano de 2020 é que o programa tenha continuação.

“Com férias coletivas e feiras, esse ano ainda não conseguimos retomar o programa 100%. Mas o próximo passo é montar um grupo de WhatsApp com todos os representantes, algo simples, rápido e eficaz, para que eles possam dizer o que é melhor nos pontos de venda de cada região, quais brindes são mais adequados para cada estado. Ou seja, o que é melhor no atendimento de cada um deles”.

Superada a primeira fase e a etapa piloto do programa, em que não havia direcionamento do que fazer, a diretoria passa agora a conversar sobre recompensas para as futuras ideias.

Trator pulverizando produto na lavoura
Copy link