Apoiadores:


Mundo

O que é intraempreendedorismo e como ele pode auxiliar sua empresa a reter talentos e inovar

Na busca constante por inovação, empresas do mundo todo têm procurado por pessoas, ferramentas e parcerias capazes de trazer ideias que causam mudanças, atualizações e, acima de tudo, geram valor para as instituições – seja ele financeiro ou não.

Diante do dado que 88% das empresas que estavam no ranking da Fortune 500 em 1950 não existiam mais em 2015, torna-se ainda mais compreensível a necessidade de empresários se manterem inovando, já que ao longo do tempo, a melhoria contínua nos produtos e processos se tornou fator primordial para que a longevidade da empresa não ocorra a qualquer preço, muito menos com prejuízo.

Entre as soluções procuradas para promover mudanças constantes que priorizem essa melhoria, o incentivo ao intraempreendedorismo tem sido adotado por muitas organizações.

O tópico tem ganhado popularidade, e não é para menos: os benefícios alcançados por meio do intraempreendedorismo podem mudar para melhor o presente e futuro de qualquer empresa.

Mas afinal, o que é intraempreendedorismo?

O intraempreendedorismo é feito por colaboradores que agem como empreendedores  a fim de criar oportunidades, encontrar soluções e implementar novas ideias na empresa, assumindo os riscos e benefícios dessas ações empreendedoras.

Enquanto os empreendedores tomam estes riscos sozinhos e são os únicos responsáveis pelas próprios passos, os intraempreendedores são capazes de manter um forte vínculo organizacional, mesmo sendo  movidos por grande autonomia e autoconfiança na resolução de problemas.

No entanto, para que um intraempreendedor nasça ou se desenvolva, é necessário que a organização invista em um ambiente favorável.

#leiaTambemHub Conexa conta trajetória e traz dicas para empresas tradicionais começarem a inovar

O artigo Five Insights Into Intrapreneurship criou um guia para acelerar a inovação nas corporações, destacando as características de intraempreendedores, demonstrando também como as empresas podem (e devem) semear, incentivar e promover esse comportamento.

Se você acredita que tem as características necessárias para ser um intraempreendedor ou se quer aprender a identificar os colaboradores com este perfil, acompanhe!

Quais são as características de um intraempreendedor?

Primeiramente, é necessário entender que intraempreendedores não tem um único perfil. Mas é possível encontrar um denominador comum entre eles:

  1. Intraempreendedores têm uma motivação intrínseca de mudar o status quo, seja de um processo, produto ou rotina;
  2. Eles são movidos por alcançar um objetivo auto-definido (ou seja, definido por eles mesmo em prol da organização). Ao gerar uma ideia, eles desenvolvem uma visão de longo prazo para implementá-la até que ela floresça;
  3. Sua motivação os diferencia dos outros colaboradores porque eles são mais propensos a correr riscos do que os colegas;
  4. Apesar disso, eles valorizam a estabilidade e a segurança oferecidas pela empresa, ao mesmo tempo que estão cientes que as recompensas potenciais e a autonomia concedida são limitadas;
  5. Com habilidades avançadas para resolver problemas, eles são flexíveis e perseverantes, tem proatividade acima de média e também se mantém abertos a receber críticas e feedbacks a fim de evoluir rapidamente.

Mas como isso funciona na prática?

O artigo aponta as três etapas que os intraempreendedores passam para evoluir e implementar uma ideia com apoio e subsídio da empresa.

Visão

Intraempreendedores procuram oportunidades onde outros colaboradores não.

A longo prazo, gerentes e diretores são os primeiros a se distrair com a rotina diária, e os intraempreendedores tem motivação para gerar ideias e identificar maneiras de melhorar sem serem solicitados.

Para isso ocorrer, os indivíduos com mentalidade empreendedora ultrapassam barreiras, solicitando tempo e recursos.

Preparação

A etapa de preparação inclui vender a ideia para organização, buscando um patrocinador da alta gerência, visando utilizar sua grande rede de contatos dentro da empresa. 

Em busca de validar ainda mais a ideia, intraempreendedores utilizam recursos da empresa, muitas vezes alterando regras para poder acessá-los mais rapidamente.

Implementação

Esta é a etapa em que os intraempreendedores combinam suas habilidades de liderança aos conhecimentos técnicos para se concentrar na rápida implementação da ideia, pois sabem que apenas ganhos rápidos (e visíveis) vão garantir suporte contínuo.

É aqui também onde eles podem tomar decisões independentes, contornar barreiras corporativas, obstáculos burocráticos e, finalmente, brilhar.

O que é intraempreendedorismo e como ele pode auxiliar sua empresa a reter talentos e inovar 1

Como incentivar o intraempreendedorismo dentro da empresa?

Antes de tudo, organizações devem compreender que não se trata de criar intraempreendedores, mas de ser capaz de encontrar e reconhecê-los.

Ainda conforme o estudo da Deloitte Digital Ventures, mais de 20% dos funcionários exibem alguma atividade empreendedora. Por isso, executivos precisam manter o olhar atento para não ignorar os esforços ou até mesmo impedir colaboradores de realizar suas ideias, mesmo que elas pareçam diferentes da maneira normal de trabalhar.

“Normalmente, o primeiro passo que um intraempreendedor dá é identificar uma oportunidade para resolver um problema.”

Para as organizações, o intraempreendedor exige uma abordagem de gerenciamento diferente, já que o intraempreendedorismo influencia diretamente na satisfação do colaborador, auxiliando na retenção de talentos.

#leiaTambemComo uma empresa com 20 anos no mercado de agricultura está implementando a cultura da inovação

A pesquisa mostra que essa modalidade de empreendedorismo está condicionada a pelo menos três aspectos: o perfil dos colaboradores, o ambiente e cultura organizacional e ao papel da liderança.

Sete passos para criar um ambiente de intraempreendedorismo saudável

1) Apoio

Mostre aos funcionários que o comportamento empreendedor é apoiado. Isso inclui manter uma cultura organizacional na qual eles não tem medo de compartilhar suas ideias.

2) Autonomia e responsabilidade

Além de reduzir mecanismos de controle e burocracias, gerentes precisam oferecer autonomia, incentivando funcionários a criar soluções independentes em vez de aderir aos comandos pré-estabelecidos.

3) Motivação e incentivos

Recompensas baseadas no desempenho são importantes, mas não são suficientes. Motivar e incentivar os funcionários – seja qual for a maneira ideal identificada dentro da organização – é crucial nesse processo.

4) Recursos

Você conhece a regra dos 20% do Google?

Nela os funcionários podem passar um dia da semana trabalhando em um projeto que não é relacionado ao trabalho deles. 

Isso significa que colaboradores precisam de tempo e recursos para inovar, com acesso rápido a recursos como máquinas de capital e especialistas que auxiliem no processo de validação de ideias.

5) Compensação

A compensação deve incentivar todas as etapas do intraempreendedorismo, incluindo uma combinação de curto e longo prazo alinhadas à estratégia da empresa. Ao mesmo passo que deve incentivar a tomada de riscos, também precisa refletir a realidade dos limites corporativos.

6) Comunicação

A troca aberta de ideias deve ser garantida por gerentes e até mesmo especialistas externos, que podem ser parceiros para criar desafios de inovação a fim de gerar novas ideias rapidamente.

7) Estrutura e processos

Por fim, empresas empreendedoras tem estrutura descentralizada, e seus gerentes delegam as decisões para possibilitar que elas sejam tomadas por aqueles que desenvolveram maior conhecimento técnico no dia a dia.

Essa modalidade de empreendedorismo já vem sido estudada há bastante tempo,  e tem como grande referência o engenheiro florestal e político americano Gifford Pinchot (1865-1946).

Pinchot é responsável pela criação do que ficou conhecido como os Mandamentos de Pinchot, ou Os 10 mandamentos do intraempreendedorismo, o qual não poderíamos terminar o texto sem deixar de citar.

Os 10 mandamentos do intraempreendedor

  1. Vá ao trabalho todos os dias preparado para ser demitido.
  2. Contorne qualquer ordem que objetive interromper seu sonho.
  3. Se preciso, “carregue pianos” em seu projeto.
  4. Gaste muita saliva e sola de sapatos.
  5. Siga sua intuição sobre o pessoal, use apoio e trabalhe somente com os melhores.
  6. Não divulgue seus projetos. A publicidade atrai céticos, descrentes e resistentes.
  7. Nunca aposte numa corrida a menos que esteja participando dela.
  8. Lembre-se que é mais fácil pedir desculpas pelo insucesso do que permissão para tentar algo novo.
  9. Tenha metas ambiciosas, mas seja realista quanto aos meios que dispõe.
  10. Seja leal com todos. Não há conflito entre realização e consciência tranquila.
Copy link